Este texto é de responsabilidade exclusiva do(a) autor(a).

LAÇOS – Domenico Starnone

      Laços é um romance provocativo e de leitura irresistível sobre vínculos familiares – tema que eu particularmente tenho lido bastante – e as amarras (laços!) do casamento. Uma obra vulcânica e marcante escrita por um dos principais autores italianos da atualidade: Domenico Starnone.

Vanda e Aldo estão casados há mais de cinco décadas. Ao voltarem de uma agradável semana de férias na praia, eles encontram seu apartamento completamente revirado. Reorganizando seus papeis, Aldo se vê forçado a encarar lembranças de décadas atrás: os anos que abandonara Vanda e os filhos para viver com oura mulher. As fissuras causadas por esse trauma familiar permanecem latentes no presente.

Laços trata de uma traição, mas principalmente do ponto de vista do marido traidor, Aldo, que saiu de casa atrás de uma mulher mais jovem, no auge dos anos 1970, com a alegação, baseada em preceitos da revolução comportamental, de que a verdadeira traição seria negar o desejo. Após um período, Aldo retorna, mas a relação, apesar das muitas rachaduras, jamais permitiu ao casal – e muito menos aos filhos destes – retornar ao que era antes. Pelo contrário: a casa de Vanda é um ambiente asfixiante de opressão e de tensão, ao qual o leitor também não fica imune.

É daqueles livros pequenos, apenas 144 páginas, mas que carrega uma carga de intensidade alta, daquele tipo que coloca em cheque todas as certezas que um dia apoiamos para manter as coisas de pé. No fim, todas essas “certezas” são debulhadas, quebradas, arremessadas. E por isso mesmo o livro merece ser lido.

Amei a leitura, queria deixar o registro para que vocês possam ler também. As citações também são incríveis e valem cada virada de página. 

Uma observação especial ao título, extremamente apropriado. Laços. Os laços que damos. A maneira como apertamos. Um pormenor que envolveu todos. Que distingue e simultaneamente os aproxima. O apertar e o desapertar. 

 

“Em toda casa há uma ordem aparente e uma desordem real.”

Colunista

Compartilhe nas redes

Hannah Riff

Graduada em direito. Advogada licenciada OAB/PE. Assessora de membro do Ministério Público de Pernambuco. Graduanda em Psicologia pela Faculdade Pernambucana de Saúde. Estagiária do IMIP. Leitora por paixão. Parte dessa foz, o rio da leitura, corre em mim desde cedo. Leio porque entendi que as palavras também nascem da coragem de sentir. Esse lugar assustador e mágico de estar vulnerável e por isso, deliciosamente humano. Ler, para mim, é estender uma ponte até o peito. Fazer do papel um espelho. O percurso é entregar-se a cada página, a um sentir, a algo sentido. Espero nessa jornada poder dividir um pedaço desse amor e dessa entrega com vocês também.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − seis =